A posse de Carlos Alberto Decotelli como novo ministro da Educação estava prevista para acontecer na terça-feira (29/6), mas o evento acabou sendo adiado. Durante a divulgação do nome do novo titular do Ministério da Educação (MEC), na semana passada, o presidente Jair Bolsoanro citou alguns apsectos do currículo de Decotelli que se mostraram falsos, como o doutorado e o pós-doutorado do professor.

Agora, na agenda oficial da pasta, não consta qualquer compromisso oficial previsto. Em nota enviada ao portal Metrópoles, o Planalto afirmou que ainda não havia confirmado a realização do evento e que, até agora, “não há previsão para essa cerimônia”.

Apesar da posse ainda não ter acontecido, a nomeação de Decotelli no MEC já foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desde a quinta quinta-feira (25/06). No dia seguinte ao anúncio, duas instituições de ensino questionaram títulos que ele havia listado no próprio currículo.

LEIA MAIS: Maia diz que acordo para votar adiamento das eleições ainda está longe; resolução deve sair até quarta

LEIA MAIS: "Não vai mudar um centímetro minha decisão", diz Neto sobre protesto na frente de sua casa

Inicialmente, o reitor da Universidade de Rosário questionou a inclusão do título de doutor indicado por Decotelli. O MEC chegou a divulgar um certificado que atestava a conclusão de todos os créditos do doutorado em Administração, mas não provava que o professor havia defendido a tese, necessária para obter o título. Com a polêmica, o novo ministro alterou seu currículo Lattes, confirmando que não houve defesa da tese.

Sem o título de doutor, Dacotelli não poderia ter feito o pós-doutorado. Além disso, a própria Universidade de Wüppertal, onde ele teria ganhado a chancela de pós-doutor, disse que ele não obteve “nenhum título” na instituição.

Acompanhe todas as notícias sobre o novo coronavírus.

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuon.com.br/aovivo. Nos mande uma mensagem pelo WhatsApp: (71) 99986-0003.